Pages

31 de ago de 2011

A Lavoura Coletiva está de volta!

Neste sábado, 3 de setembro, teremos festa da Lavoura Coletiva no Bronze!



shows:

- RAFAEL CASTRO E OS MONUMENTAIS (SP)
O trio paulistano traz ritmos dançantes e melodias alegres com forte influência do rock dos anos 70, muitas vezes soando como Os Mutantes ou Krig-Ha Bandolo (obra-prima de Raul Seixas). Criativo, elétrico e festeiro!
www.myspace.com/sabesp


- ALMA MATER
A banda de Ribeirão Preto dá continuidade a divulgação do single "Myriad" e apresenta novas canções que farão parte do próximo trabalho, com influências shoegaze e slowcore.
www.almamater.mus.br


- BLUE SUNSET
Com base folk e inflûencias de grunge, indie e rock alternativo, o grupo faz sua primeira apresentação ao vivo na Lavoura Coletiva.
www.youtube.com/watch?v=oxC4WWjbLaQ


Aos intervalos: Discotecagem ROCK!
Convites: R$ 12 (h) e R$ 10 (m).
Local: BRONZE - Av. 9 de Julho, 59 - Rib. Preto
Abertura: 23h

*Acesse Lavoura Coletiva no Facebook: http://is.gd/QawItD

30 de nov de 2010

Lavoura Coletiva promove festa com Jair Naves, Eletrofan e Alma Mater no Bronze

No próximo sábado (04), o grupo Lavoura Coletiva realiza uma festa no Bronze Night Club, com as bandas Jair Naves (SP), Eletrofan (Araraquara) e Alma Mater (Rib. Preto). Em show de divulgação de seu primeiro trabalho solo (EP "Araguari") após liderar a banda Ludovic, Jair Naves apresenta uma sonoridade mais delicada, na contramão do antigo grupo. O disco mescla timbres suaves de piano, sintetizadores e violão, mas não deixa de lado sua influência pós-punk e os versos confessionais, narrando suas inadequações com o mundo.




Já o Eletrofan, com nova formação, acaba de lançar o disco "DAY SKY/ NIGHT SKY", um pertardo com 10 canções que me remetem a Joy Division, Interpol e, em alguns momentos, Faith No More. Na abertura, Alma Mater apresenta algumas das novas canções que serão lançadas no primeiro semestre de 2011.


Dedicada ao desenvolvimento cultural de Ribeirão Preto e fortalecimento da música independente no interior paulista, a Lavoura Coletiva já promoveu alguns eventos com bandas da região, como Alma Mater (Rib. Preto), Plano Próximo (São Carlos), Berrodúbio (Rib. Preto), Os Rélpis (Araraquara), Dom Amaro (Rib. Preto), O Mínimo (Rib. Preto), Projeto Paiero (Franca), Justino (Ribeirão Preto) e Pale Sunday (Jardiópolis). Este ano, convidou o trio paulistano Rock Rocket para apresentação na cidade.


jair_naves_flyer


A festa acontece dia 04/12, sábado, a partir das 23h no Bronze Night Club (Av. 9 de julho, 59). Convites as R$ 12 (homem) e R$ 10 (mulher).

21 de set de 2010

é sexta!

17 de set de 2010

Lavoura Coletiva promove shows na 15º Semana de Cultura e Arte, na USP Ribeirão Preto

Na próxima sexta-feira (24), o grupo Lavoura Coletiva participa da Semana da Cultura e Arte na USP, com exibição do documentário Palco Roosevelt e shows das bandas Justino, Pale Sunday e Dom Amaro.


Dedicado ao desenvolvimento cultural de Ribeirão Preto e fortalecimento da música independente no interior paulista, o coletivo já promoveu alguns eventos com bandas da região, como Alma Mater (Rib. Preto), Plano Próximo (São Carlos), Berrodúbio (Rib. Preto), Os Rélpis (Araraquara), Dom Amaro (Rib. Preto), O Mínimo (Rib. Preto) e Projeto Paiero (Franca). Recentemente, convidou o trio paulistano Rock Rocket para apresentação na cidade.


Veja a programação:


19h30
Palco Roosevelt (documentário)



Em um tempo no qual a maioria das praça e ruas tendem a se tornar meros espaços de passagem, Palco Roosevelt volta os olhos à dinâmica e culturalmente ativa Praça Roosevelt. Situada no centro da metrópole paulistana, a praça tem sido apropriada por uma pluralidade urbana, captada pelo documentário como um prisma social em reflexão sobre cotidiano e espaço público. Direção: Rafael Rolim. Duração: 20min.


20h
Justino



O JUSTINO surgiu no final de 2009 como um desdobramento da banda ribeirãopretana “O Mínimo”. É uma nova aventura musical formada por músicos experimentados e atuantes na cena de Ribeirão Preto-SP. As influências passam pelo rock de garagem, pós-punk, um pouco de psicodelia e MPB. Para ouvir: www.oinovosom.com.br/justino


21h
Pale Sunday



Formada no final dos anos 90 na cidade de Jardinópolis, a banda conseguiu projeção internacional ao assinar com a gravadora americana Matinée Recordings, pela qual lançou os discos "A Weekend With Jane" (2003), "Summertime?" (2005) e "Shooting Star" (2010), conquistando a crítica especializada e o público internacional.
Participou de várias compilações editadas em países como Japão, Peru, Espanha, Eua e Brasil. Para ouvir: www.myspace.com/palesundayband


22h
Dom Amaro



Com lançamento do primeiro CD, Dom Amaro tornou-se uma das grandes promessas do rock na região. Cantado em português, apresenta canções bem estruturadas com estilo próprio e delicadeza. Sem medo de afirmar suas raízes, mistura guitarras modernas à irreverência do samba em canções como "Brazilian People Very Good" e "Marcha Para um Coração". Para ouvir: www.myspace.com/domamaro


-----------------------------------------------------------------


Local: Espaço Cultural Capela (CCRP), no campus da USP em Ribeirão Preto.
Dia/hora: sexta-feira, 24/09, às 19h30.


Acesse aqui a programação completa da 15º Semana de Arte e Cultura.

8 de jul de 2010

Rock Rocket se apresenta na festa do Lavoura!

Yeah! Na próxima sexta, 16 de julho, o trio rock n' roll alcoólatra e inconsequente se apresenta na festa Lavoura Coletiva, no Bronze. Diretamente de São Paulo, o Rock Rocket divulga o novo compacto Rocket Jane, em vinil 7 polegadas. Na abertura da festa, shows de Projeto Paiero (Franca) e Dom Amaro (Rib. Preto). Imperdível!

5 de abr de 2010

Sábado tem festa Lavoura Coletiva!

Vamos lá?




Sábado, 10 de abril:
Festa LAVOURA COLETIVA
dedicado ao fortalecimento da música independente em Ribeirão Preto

shows:

OS RÉLPIS (araraquara)
com cores e tons do tropicalismo, viajam entre psicodelia e música brasileira.
http://www.myspace.com/osrelpis

DOM AMARO (ribeirão preto)
considerado um dos destaques do rock da região, o grupo mistura guitarras modernas à irreverência do samba.
http://www.myspace.com/domamaro

ALMA MATER (ribeirão preto)
mesclando suaves melodias a explosões sonoras, seus shows ganharam notoriedade no interior paulista.
http://www.myspace.com/almamaterband


Aos Intervalos:
rock / pop / indie / electro / garage


Data/hora: Sábado, 10 de abril a partir das 22h.
Convite: R$10,00
Local: Bronze Night Club - Av. 9 de Julho, 59
Realização: Lavoura Coletiva - http://lavouracoletiva.blogspot.com

21 de mar de 2010

Entrevista Porcas Borboletas e Aeromoças e Tenistas Russas

Na próxima sexta-feira (26/03), acontece o Groselha Fuzz especial Noites Fora Do Eixo, no Bronze. Trata-se de duas bandas em turnê pelos estados de Minas Gerais e São Paulo: Porcas Borboletas (Uberlândia) e Aeromoças e Tenistas Russas (São Carlos).



Prestes a chegarem Ribeirão, falaram com o Lavoura Coletiva sobre o cenário independente e a autogestão das bandas.

Leia a entrevista do Porcas Borboletas, respondida por Banzo, e na sequência a do Aeromoças e Tenistas Russas.

Porcas Borboletas
myspace/porcasborboletas



1 – Vamos lá, a primeira pergunta sempre é a mais básica, tipo como surgiu a banda e coisas do tipo, queria inverter a ordem. Contem um pouco do que é ser uma banda independente no Brasil?


cara, esse processo de ser uma banda independente está em pleno desenvolvimento, e vai ficando cada vez melhor à medida que cada cidade desenvolve sua estrutura. no mais, a gente vive bem e com simplicidade, fazendo o que a gente gosta e quer da vida.


2 – Quais bandas vocês apontam como destaque no Brasil e quais bandas vocês acreditam que irão se destacar no cenário?


cara, tem uma cena com grandes bandas, e algumas têm propostas que têm a ver com a nossa como Cérebro Eletrônico, Mini-Box Lunar, Diego de Morais e o Sindicato, Do Amor. Uma linha muito promissora é a instrumental, com Macaco Bong, Burro Morto, Aeromoças e Tenistas Russas, Caldo de Piaba e por aí vai.

A coisa está cada vez mais vigorosa.


3 – Qual o melhor show que vocês já fizeram? Queremos detalhes!


Pergunta difícil... mas um show marcante foi o do Varadouro, no Acre em 2006. Pra ter uma idéia da vibe, uma borboleta parou voando olhando pra cara do Danislau...


4 – Contem um pouco como é fazer parte do Circuito Fora do Eixo e qual tem sido a experiência de vocês nesta nova perspectiva para bandas/artistas que é a autogestão da carreira?


Cara, é uma nova lógica em que todo mundo se percebe como agente de uma mesma cadeia, trabalhando em conjunto. Então isso muda totalmente aquela relação chata de contratante e contratado quando chegamos pra tocar em um evento linkado ao circuito. É tudo uma coisa só trabalhando pelo mesmo fim. A gente já está há muito tempo trabalhando com auto-gestão, e isso te faz entender melhor o macro-sistema do qual vc faz parte.


5 - Vocês tem uma textura melódica que beira o movimento estético do Lira Paulista, era o que vocês ouviam? São suas principais influências? Falem um pouco sobre isso.


Ouvimos sim, influenciaram sim, mas não é o caso de falar em influência principal, porque ouvimos muita coisa, música de raiz, de massa, pop, de vanguarda, erudita. Música é algo pra estar sempre com o canal aberto, o processo de recepção e criação nunca para.


6 – Como é o processo de composição no Porcas Borboletas?


Cada música é uma história, às vezes pinta de um riff, às vezes de um texto, às vezes de uma canção pronta. O que é estimulante é não existirem essas regras...


7 – O que vocês diriam para o público de Ribeirão Preto e o que vocês diriam para as bandas que estão começando hoje?


Para o público: não queremos enganar ninguém!
Para as bandas: não vão se perder por aí!

___________________________________________________

Aeromoças e Tenistas Russas
myspace.com/aeromocasetenistasrussas




1. Contem um pouco sobre como surgiu a banda, quais são suas principais influências, e principalmente quais são suas expectativas frente a cena independente brasileira.

ATR: A banda surgiu em 2008, mas nos conhecemos em 2007 quando nos encontramos para fazer o curso de Imagem e Som na Universidade Federal de São Carlos. Cada um veio de uma cidade diferente: Juliano de São José do Rio Preto, Nilo de Londrina, Hard de Araraquara e Hooligan de Piracicaba. Isso reflete muito nossas influências.. cada um escutava um tipo de música, com alguns poucos pontos em comum. E isso foi primordial para o surgimento de nossas músicas, que reflete toda essa mistura de estilos e timbres em uma faixa. Nossa expectativa perante a música independente é a melhor possivel. Estamos tocando mais do que nunca é visível o fortalecimento da cena por todo país. Vida longa a música autoral e independente!

2. Qual é a visão do ATR sobre a autogestão da carreira, idéia que tem sido promovida e disseminada nos meios independentes?

A autogestão é praticamente o que faz existir a cena independente hoje em dia. É graças a internet que as bandas fazem os contatos, divulgam seus trabalhos e pesquisam referencias musicais e técnicas. Hoje você grava num home studio com uma qualidade impressionante, e depois disso divulga seu trabalho pelo mundo a fora.

3. Quais bandas vocês indicariam hoje como “ bandas destaque” na cena independente?

Destaques... humm... tem bandas independentes hoje que são melhores e maiores que muitas bandas da mídia. O Macaco Bong é um exemplo claro disso! Os caras fazem mais shows que qualquer um hoje, são referencia nacional. Mas pra citar alguns nomes eu diria Black Drawing Chalks, Pata de Elefante, Porcas Borboletas e o próprio Macaco Bong.

4. Individualmente o que cada membro da banda pensa sobre o futuro? A música é um bom caminho a ser traçado profissionalmente?

Decidimos levar a banda profissionalmente a pouco tempo, e a partir de agora esse é o nosso trabalho, por mais que alguns integrantes ainda façam estágio e por mais que todos ainda estejam no último ano da faculdade de Imagem e Som. E sim, a música é um ótimo caminho pra se seguir profissionalmente.

5. O que vocês esperam da turnê com Porcas e Borboletas?

Estamos na maior expectativa pra fazer essa tour. Além de ser nossa maior tour vai ser com o Porcas, que é uma banda que todos da ATR admiram muito. Excitação total!!! risos.

6. O que a banda pensa sobre o público de música independente no Brasil? Possuem alguma experiência em público no exterior?

O público e os produtores independentes estão crescendo no Brasil. É muito massa chegar em cidades de pequeno e médio porte (como é o caso de nossa cidade São Carlos) e ver que existe uma cena forte de música independente autoral. A tendencia é se fortalecer e crescer ainda mais. Vamos circular galera!!!

7. O que vocês diriam para uma banda iniciante e de música autoral? E o que vocês diriam para uma banda iniciante com qualidade, mas que prioriza o cover?

Sinceramente a questão do cover e do autoral pra gente é questão de prioridade. Ou você quer fazer o seu som ou vai tocar cover de bandas que todos da banda curtem. Cada um monta sua banda já sabendo disso e depois é ensaiar pra que o som fique bom e entrosado. Agente escolheu fazer o nosso som!

___________________________________________________


Entrevistas: Victor Hugo - Lavoura Coletiva.